Archive for novembro, 2007

AdSense Combate Cliques Acidentais

Para quem anuncia na rede de conteúdo do Google, o comunicado divulgado ontem pela empresa serve de aviso: o número de cliques e, conseqüentemente, o CTR dos seus anúncios podem cair a partir desta semana.

Calma! Trata-se apenas de uma revisão das áreas clicáveis dos anúncios. O Google desabilitou o modelo antigo pelo qual era possível clicar em qualquer parte das peças de AdSense (no formato de texto) excluindo suas áreas em branco e o seu texto de descrição.

Veja como isso já está funcionando na prática:

Novos anúncios do AdSense

Essa mudança visa reduzir o número de cliques acidentais na rede de conteúdo e, portanto, qualificar a sua efetividade, além de melhorar a experiência do usuário.

Nota-se que, embora os cliques e o CTR possam acabar sendo reduzidos, o seu ROI médio tende a aumentar. Ou seja, mais uma vez, todo mundo ganha! 😀

Quer dizer, a menos que você seja um webmaster com olhos apenas nos clique$ do Ad$en$e…

Anúncios

Deixe um comentário

Diga-me o Que Buscas e Te Direi Quem És

Aquela caixinha de busca sem graça que você e eu usamos religiosamente todos os dias para procurar conteúdo na Web está cada vez mais para uma caixa de Pandora do que para um item de formulário HTML.

Talvez você não tenha reparado, mas há muito mais além dela do que simples páginas de resultados. Toda vez que você processa uma consulta, está dizendo algo que você quer, uma intenção. Essa intenção está associada a uma série de outros dados simples que vão de presente para o motor de busca: hora, data, browser, navegador e até posição geográfica.

Isso quer dizer que o Google, o Yahoo! ou a Microsoft (só para citar os principais) têm condições de saber, por exemplo, que na última quinta-feira, às 17:55, você, um porto-alegrense que usa Firefox em um Windows XP Service Pack 2, estava interessado em encontrar algo relacionado a “ajax“. Legal! Mas e daí?

Bom, se você digitou “ajax”, você poderia ser um programador procurando algo sobre a tecnologia, uma dona de casa querendo saber o preço de um produto de limpeza ou até um gremista nostálgico buscando notícias de um time de futebol holandês. Nos três casos, você poderia ter feito uma busca mais refinada, mas como muita gente ainda não sabe buscar pelas melhores palavras, o trabalho de sorting fica todo com o buscador. Oh, pobre buscador!

Mas como um robô pode saber o que eu realmente quero? Boa pergunta! Na verdade, eu vejo isso de duas formas possíveis:

1) Ele resgata um histórico global das buscas pela palavra que você usou e classifica os resultados de acordo com as suas taxas de cliques do passado e os seus devidos critérios de relevância e popularidade;

2) Ele resgata um histórico pessoal das suas buscas recentes (cruzando informações como IP e sistema operacional) e identifica um padrão nos temas que você mais se interessou.

Os dois cenários são possíveis, porém o último me parece ser o mais próximo do que tem sido chamado de busca semântica ou até busca personalizada. Em outras palavras, o resultado seria customizado de acordo com uma análise probabilística do seu histórico de buscas recentes.

Para fazer isso, contudo, é necessário um algoritmo que trabalhe com clusters ou grupos de significado (semântica pura!) para palavras-chave. Para saber se você é o programador interessado na tecnologia AJAX, o robô de busca precisa “entender” que essa opção existe para a palavra “ajax”. No caso do exemplo que usei, ele teria que vasculhar os 3 clusters possíveis e identificar algum que esteja mais associado às suas buscas mais recentes (e, talvez, devolver os resultados de acordo com as estatísticas globais, caso a amostra não seja tão significativa).

O fato é que esse tipo de tecnologia de busca que eu acabei de descrever de maneira simplista já está sendo utilizado atualmente e muitos outros pequenos cálculos estão deixando esse algoritmo cada vez mais complexo e inteligente. É bem possível que também já estejam tramando algo relacionado à busca comportamental para a publicidade. Afinal, qual anunciante não gostaria de prever o comportamento de um consumidor propenso a adquirir um produto que consta em seu mix?

Pense nisso na sua próxima aventura pela caixinha de busca. E não deixe que mais alguém que acesse o seu PC saiba disso! Vai que digitem algo do tipo “peladas de segunda” no seu Google Desktop

Deixe um comentário

Apresentando o Android

Que GPhone que nada… Em se tratando de Google, deveríamos seguramente ter chutado mais alto.

O grande lançamento da gigante de internet para o mercado da telefonia móvel era, na verdade, uma plataforma open source que, em parceria com empresas do naipe de Motorola, Qualcomm e T-Mobile, permite o desenvolvimento de aplicações para celulares com facilidade. A empresa até lançou um concurso que oferecerá um total de 10 milhões de dólares em prêmios para os melhores projetos. Mãos à obra, desenvolvedores! 😀

O vídeo abaixo, com Sergey Brin e Steve Horowitz, foi divulgado pelo Google no momento em que tornou disponível o kit de desenvolvimento oficial do Android:

Alguém já entendeu a grande sacada disso tudo? Uma palavra: AdWords.

Comments (3)

Medindo as Campanhas de Fim de Ano

O Natal já chegou para o mercado da publicidade e, como sabemos, na internet as coisas tendem a ser ainda mais rápidas. No caso dos banners, chegou o momento de passar o briefing da campanha para a agência desenvolver as peças mais atrativas para conquistar o clique do usuário em um período de cliques impulsivos. No caso dos links patrocinados, já é hora de colocar no ar os anúncios para desenvolver um bom histórico no período mais importante do ano, especialmente para o varejo.

A pergunta do momento é: você está preparado?

Caso a resposta tenha sido negativa, ainda há (pouco) tempo para se dar bem na Web neste fim de ano. Mas é muito importante definir, desde o início, quais serão as métricas-chave da sua campanha. Você pode ter como objetivo a geração de tráfego para o seu site, de leads, de vendas, etc. Para cada caso, há uma diferente forma de medir a performance e os resultados da sua campanha.

Banners:

Uma ótima forma de medir os resultados de banners é usar tracking codes. Durante o período da campanha, acompanhe a evolução diária de impressões, cliques, CTR e CPC (sim, mesmo que você esteja comprando impressões). Você quer que o volume de cliques seja o maior possível de modo a reduzir o CPC e gerar o máximo de tráfego ou transações com o menor custo. Para isso, trabalhe com diferentes versões de peças fazendo testes A-B até o fim da campanha e procure sempre apostar nos creatives de maior CTR. Se o seu objetivo é levar audiência para o seu site, compare o resultado de cliques da campanha com o número de visitas gerado pelos seus banners e adicione uma coluna à sua planilha para calcular o custo por visita. Caso o seu objetivo seja venda, divida o CPC pela taxa de conversões por clique e obtenha o custo por aquisição (CPA) em outra coluna da sua planilha, conforme a fórmula abaixo:

CPA = CPC/Taxa de conversões = (custo/clique)/(conversões/clique)

Links Patrocinados:

O valor das palavras-chave tende a aumentar nesta época do ano. Isso ocorre porque as conversões aumentam mais que os cliques, então as taxas de conversão tendem a aumentar também, o que torna os cliques mais caros e faz com que os anunciantes aumentem os seus lances. Como resultado, o CPC sobe.

Voltando à nossa fórmula acima, embora o CPC aumente no Natal, a tendência é que as conversões aumentem ainda mais e isso reduz o CPA. Sendo assim, vale a pena apostar em algumas palavras-chave bastante buscadas para atingir o máximo de público interessado nos seus produtos.

Uma boa dica para a seleção das suas palavras-chave é usar o Google Trends, que mostra o volume das buscas em determinados anos, meses, países e até estados. Veja, por exemplo, a comparação abaixo:

Google Trends para buscas relacionadas a PC

Perceba que a procura pelo termo “pc” ainda é grande no Brasil, mesmo com o aumento de buscas por “notebook”. Agora vamos comparar o desempenho das buscas por alguns dos campeões de vendas do Natal:

Google Trends para produtos relacionados ao Natal

É, parece que ninguém quer saber de ler livros em fim de ano. Por outro lado, veja só o que acontece com os outros produtos na proximidade do Natal. As buscas simplesmente disparam!

Bom, espero que este post seja útil para alguém e que todos tenhamos um Natal muito feliz e com ótimos resultados em nossas campanhas online.

Deixe um comentário

« Newer Posts